Práticas musicais com alunos surdos na extensão universitária: acesso e participação

Lucia Helena Reily, Márcia Regina Nepomuceno dos S. Oliveira

Resumo


As linguagens expressivas oferecem possibilidades de significação para pessoas com alterações de fala e linguagem. Este estudo apresenta relato sobre um projeto de música com alunos surdos de quatro a 18 anos. O trabalho se desenvolveu impulsionado por uma aluna de graduação de Pedagogia que propôs um projeto de iniciação científica sobre práticas musicais com alunos surdos; a iniciativa foi acolhida no espaço de atendimento em artes visuais no decorrer de 2014 com cinco grupos de alunos surdos num programa de extensão universitária. Desenvolveram-se conversas sobre a presença da música na família; experimentos de física, que pretendiam “tornar o som visível”; construção de instrumentos nas quatro categorias (idiofone, membranofone, cordofone e aerofone); improvisação musical; vivências com notações musicais intuitivas e pautadas em George Self. Os resultados mostraram que os alunos surdos, apesar de inicialmente expressarem sentimentos de incapacidade e resistência ao serem convidados a participar, tiveram facilidade de manejar ferramentas e construir e decorar os instrumentos; engajaram-se nas atividades rítmicas, nos batuques e na imitação de danças rítmicas conhecidas. O projeto valorizou a participação e explorou maneiras acessíveis de desfrutar das vivências musicais. 


Palavras-chave


Educação musical; Ensino de Música; Alunos Surdos; Inclusão; Libras

Texto completo:

PDF

Referências


BEYER, Ester. Ideias em educação musical. Porto Alegre: Mediação, 1999.

BONILHA, Fabiana F.G. Do toque ao som: o ensino da musicografia braille como um caminho para a educação musical inclusiva. 2010. 261f. Tese (Doutorado em Música) – Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2010.

BRASIL. Lei n.º 11.769, de 18 de agosto de 2008a. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, Lei de Diretrizes e Bases da Educação, para dispor sobre a obrigatoriedade do ensino da música na educação básica [online] [acesso 14 ago 2011]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11769.htm

BRASÍLIA. Parâmetros curriculares nacionais – Arte. Brasília: Ministérios da Educação e Cultura/ Secretaria de Educação Fundamental, 1997.

BRITO, Teca Alencar de. Música na educação infantil: propostas para a formação integral da criança. São Paulo: Peirópolis, 2003.

CASH, Terry; TAYLOR, Barbara. Som. Trad. André Guilherme Polito. São Paulo: Melhoramentos, 1991.

FINCK, Regina. Ensinando música ao aluno surdo: perspectivas para ação pedagógica inclusiva. 2009. 234f. Tese (Doutorado em Música) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, 2009.

GIBSON, Gary. Brincando com sons. Trad. Helena Gomes Klimes. São Paulo: Callis, 1996.

HAGUIARA-CERVELLINI, Nadir. A musicalidade do surdo: representações e estigma. São Paulo: Plexus Editora, 2003.

__________. A criança deficiente auditiva e suas reações à música. São Paulo: Editora Moraes, 1986.

JEANDOT, Nicole. Explorando o universo da música. São Paulo: Scipione, 1990.

KARTOMI, Margaret. The classification of musical instruments: changing trends in research from the nineteenth century, with reference to the 1990s. Ethnomusicology, v. 45, n. 2, p. 283-314, 2001.

KOELLREUTTER, Hans-Joachim. Terminologia de uma nova estética da música. Porto Alegre: Movimento, 1987.

LIMA, Gueidson Pessoa de. Música e surdez: o ensino de música numa perspectiva bilíngue na escola regular. 2015. 132f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.

LOURO, Viviane. S. As adaptações a favor da inclusão do portador de deficiência física na educação musical: um estudo de caso. 2003. 208f. Dissertação (Mestrado em Música) – Instituto de Artes, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, São Paulo, 2003.

MELO, Isaac Samir Cortez de. Um estudante cego no curso de licenciatura em música da UFRN: questões de acessibilidade curricular e física. 2011. 127f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.

OLIVEIRA, Leonardo Augusto Cardoso. O deficiente visual em contato com a música. 2013. 84f. Dissertação (Mestrado em Música) – Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2013.

OXFORD music online. Oxford, Oxford University Press, 2007. [online] [acesso 3 maio 2014]. Disponível em: http://www.oxfordmusiconline.com:80/subscriber/article/grove/music/13818

SELF, George. New sounds in class: a practical approach to the understanding and performing of contemporary music in schools. Londres: Universal Edition, 1967.

SCHAFER, J. Murray. O ouvido pensante. São Paulo: Editora da UNESP, 1992.

SOARES, Lisbeth. Formação e prática docente musical no processo de educação inclusiva de pessoas com necessidades especiais. 2006. 128 f. Dissertação (Mestrado em Educação Especial) – Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos. São Carlos, 2006.

TURINO, Thomas. Music as social life: the politics of participation. Chicago, University of Chicago Press, 2008.

VIGOTSKY, L.S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1991.




DOI: http://dx.doi.org/10.22476/revcted.v1i2.41

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN: 2447-4223


LATINDEX

   

   Resultado de imagem para google acadêmico