Ensino de astronomia nos anos iniciais do ensino fundamental: um estudo sobre a aquisição de conceitos científicos para alunos com surdez

Alessandra Ferreira Di Roma, Eder Pires de Camargo

Resumo


Esta pesquisa procurou investigar como ocorre o processo de escolarização de crianças com surdez nos anos iniciais do ensino fundamental. Objetivou-se investigar o acesso de alunos com perdas auditivas ao conhecimento científico em aulas de ciências naturais, articuladas aos princípios da astronomia. Como objetivos específicos, pretendeu-se analisar os processos de interação dos alunos surdos em sala de aula, sobretudo durante uma atividade pedagógica mediada pela pesquisadora e por dois professores da área de Física, participantes deste estudo. Além disso, buscou-se examinar as possibilidades e limitações para a construção do conceito fases da Lua para essas crianças. Os resultados da pesquisa apontam para a necessidade de alterações no atual paradigma da educação de surdos no Brasil. Destacamos a necessidade da implantação de práticas inclusivas que orientem uma educação bilíngue para os surdos. Independente da abordagem comunicativa utilizada pelos alunos com surdez seja ela oral ou gestual, o processo educativo deve garantir a essas crianças um ensino que contemple suas necessidades comunicativas e pedagógicas.

Palavras-chave: Educação em ciências naturais. Educação de surdos. Ensino de astronomia. Formação de conceitos científicos.

 


Palavras-chave


Educação em ciências naturais. Educação de surdos. Ensino de astronomia. Formação de conceitos científicos.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBRES, N. A. Relações dialógicas entre professores surdos sobre o ensino de Libras. São Carlos, 2014.

BARTEMEBS, R. C.; MORAES, R. Astronomia nos anos iniciais: possibilidades e reflexões. Passo Fundo, 2012.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ciências Naturais. Brasília, 1997.

______. Lei nº 10. 436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências. Brasília, 2002.

______. Decreto nº 5.626 de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Brasília, 2005

CAETANO, P.F. Discutindo a atuação do professor interlocutor de Libras a partir de um grupo de formação. São Carlos, 2014.

CANIATO, R. Um projeto brasileiro para o ensino de física. Rio Claro, 1974.

CARVALHO, A. M. P. As condições de diálogo entre professor e formador para um ensino que promova a enculturação científica dos alunos. In: CUNHA, A. M. O. (et al.). Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

CHASSOT, A. Alfabetização científica: uma possibilidade para a inclusão social. Revista Brasileira de Educação, ANPEd, n. 26, p. 89-100, 2003.

DI ROMA, A.F. O processo de escolarização de crianças com surdez no ensino fundamental: um olhar para o ensino de ciências articulado aos princípios da astronomia. 123f. Dissertação de Mestrado do Programa de Educação para Ciência – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Bauru, 2015.

FOUREZ, G. Crise no ensino de ciências? Investigação em Ensino de Ciências. São Paulo, v. 8, n. 2, 2003.

GOLDFELD, M. A criança surda: linguagem e cognição numa perspectiva sociointeracionista. São Paulo, 2002.

KRASILCHIK, M. Inovação no ensino de ciências. In: GARCIA, W. E. (Org.). Inovação educacional no Brasil: problemas e perspectivas. São Paulo: Cortez; Campinas: Autores Associados,1980. p. 164-180.

LACERDA, C. B. F. Os processos dialógicos entre aluno surdo e educador ouvinte: examinando a construção de conhecimentos. Campinas, 1996.

LANGHI, R. Astronomia nos anos iniciais do ensino fundamental: repensando a formação de professores. Bauru, 2009.

LAUGKSCH, R. C. Scientific literacy: a conceptual overviw. Science Education, v. 84, n. 1, p. 71-94, 2000.

LIMA, M. E. C de C.; MAUES, E. Uma leitura do papel da professora das series iniciais no desenvolvimento e aprendizagem de ciências das crianças. Ensaio v. 8, 2006.

LODI, A.C.B. Educação bilíngue para surdos e inclusão segunda a Política Nacional de Educação Especial e o Decreto nº 5.626/05. Educação, Pesquisa, São Paulo, v.39, n. 1, p. 49-63, jan/mar. 2013.

LUDKE,M; ANDRÉ, M. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo, Editora Pedagógica e Universitária, 1986.

PEIXOTO, D.E. O conceito de insolação como facilitador da aprendizagem das estações do ano. Campinas, 2013.

SANTOS, W. L. P. Educação científica na perspectiva de função de letramento científico como prática social: funções, princípios e desafios. Revista Brasileira de Educação. v. 12, n. 36, set./dez, 2007.

SOARES, M. Letramento e alfabetização: as muitas facetas. Revista Brasileira de Educação, 2003.

VIGOTSKI, L. S. Pensamento e linguagem. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1934/1993.

______. La conscience comme probléme de la psychologie du comportamet. Traduction Française de F. Séve. Sociéte Francaise, n. 50, 1925/1994

______. Déficience et défectologie mentale. Delachaux et Niestlé, p. 117-154, 1931/1994.

______. The development of academic concepts in school aged children. In: R. VAND. V; VALSINER. J (Eds.) The Vygotsky Reader. Cambridge-Oxford: Blackwell., 1934/1994. p. 355-70.

______. Teoria e Método em Psicologia. 1. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1926/1996.

______. Obras Escogidas. Fundamentos de Defectologia. Tomo V. Madrid, España, 1928/1997.

______. A Formação social da mente. O desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1931/1998.

______. A Construção do Pensamento e da Linguagem. 1. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1934/2001.

______. Psicologia Pedagógica. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1926/2010.

ZANATA, E. M. Práticas pedagógicas Inclusivas para alunos surdos numa perspectiva colaborativa. São Carlos, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.22476/revcted.v1i2.47

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN: 2447-4223

   

   Resultado de imagem para google acadêmico